14 de mar de 2013

Vista

Vejo
Do segundo andar
A folhagem da cerejeira
Quando o vento
O baixar da tarde
O Sol a se calar

             Emoldurando-se
             A perfeição

Esguia
Bela
Na segurança do lar
Borrada,
pelas cortinas,
a via

Um ar
Alguma inquietação
Sobre a situação

              Se repetia pelos dias
              Eu me calava a observar

A bruma se punha a fantasiar
Te vi olhar
Cobriu-se pelos lençóis
E correu
Cerrar os janelões

Escondida
Sabia...
Era vista!
E amanhã estará la
Como se fosse prazer
O mundo inteiro seduzir

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário