29 de jan de 2016

A Noite

E num punhado de suspiros
Todos feitos num só tom

Hesitava em seu olhar
Perdendo-se ao admirar
Enquanto ela se punha incerta de seus encantos

      Perto dali
      Um bocado de mosquitos
      Recolhidos ao alçapão
      Certos do vosso banquete

E num suspiro
Ao vento largou seu tormento

No peito,
Desfez todo o desalento
Num único momento

No excesso do olhar

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado! *

0 comentários:

Postar um comentário