19 de jun de 2012

Mais

Jamais
Depois
Desses ais
Lhe trarei rosas
Ays
Que não me deixam
A paz
Em paz

Da paz
De quem não ama
Apenas tenho
Os ais de jamais
Nunca mais
Viverei demais
A paz
Dos que não amam

Mas
Mesmo tendo Ays,
Mesmo dizendo
Jamais
Terei sempre
A lembrança
De quem não volta
Mais

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *
Leia tudo >>

16 de jun de 2012

Fundeza

Surgiam
Magicamente

Cintilantes entre as luzes
Do fundo

Do escuro
Surgiram

E jamais diriam
Que de la elas viriam

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

Leia tudo >>

Passar

No frio
E escuro
Do teu pesar
Esqueço ao passar

Do tempo
No tempo
De nossa lembrança
Passado e futuro
Se perdendo
Em sua ingênua
Omissão

Seus leves delitos
Contra minha indulgência
Cercam-me
O âmago de solidão

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *
Leia tudo >>

Pelas barbas

Se agarrava
Nas ralas
E finas barbas
Da lembrança


Os poucos
Finos fios
Da noite, só,
Acompanhado

...

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, Favor divulgar a autoria. Obrigado ! *
Leia tudo >>

11 de jun de 2012

De Vagar

Ando
Andando
Errado

Andava
Meio
Desencaminhado

Me perdia
Me encontrava
Pelas costas

Por tuas costas
Esperei a hora virar
O olhar

Pelo olhar
Esperei
Você voltar

Sem voltar
Esperei
Esperei

Esperando
Me fez voltar
Aos passos de vagar

E voltei
Esperando
A vaguear

Enquanto vagueava
Pensei
Em teu olhar

E teu olhar
Me fazia cada vez mais
Esperar

Esperar
Voltar
O olhar

Teus olhos
Que andei
A mar

A mando
Esperei
Acalmar

Acalmar
O amar
De tanto tempo

Espero
Teu olhar
Vagar

Devagar
Perdido
Olhar

Espero
De dia
O dia

A noite
Toda
Olhar

Meus olhos
E amar
Como amo

Espero
Que ame
Como espero

Teu olhar
Vagar
Ao meu

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

Leia tudo >>

10 de jun de 2012

Ignorância

E numa rajada
Surgia
De tudo
A insuficiência

A estupidez
Atravessou
Com feroz violência
Qualquer prova
De inteligência

Me fez questionar
Reprovando
Toda uma espécie
Em proliferação
Geométrica

O gosto
De se provar
E não fartar
Os ouvidos da ignorância
Quase genética

Vandalizou
Com nossa Filosofia
Vã demais
Para sua existência
Vazia

Me fiz de inconsciente
Pra esquecer do incidente
Viverei transparente
A toda ignorância
Latente

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

"Existe apenas um bem, o saber, e apenas um mal, a ignorância!"
Sócrates
Leia tudo >>