29 de jan de 2013

Paciência

A dádiva
De um sonhador
Que dá ao tempo
Perdão

Quem dera
Eu fosse menos irracional
Perdi-me, no tempo
Sobre meu colchão

Sonhava-me de mãos cheias
Sobre tuas ancas
Dionisíacas

Esquecendo-as
Tolas exigências
Impertinências

Repetiam-me teu nome
Como se fosse eu a esquece-lo
Sufocando quaisquer reflexões

Alimentando inconsequências
Mantinha a lembrança
Algo como, esperança

Implacável
Tempo
No momento
Vem apenas acompanhante a dor

Ou se tem
Ou nada nunca terá
Paciência

Tempo
Como o teu
Merece perdão
A dor

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário