22 de set de 2012

Assombração

Escondia-se
Ranhenta
Sob a luz do Sol

Vestia-se a caráter
A cobaia social
Inventada e
Reinventada
A cada mudança comportamental

Andava sorrateira
Sendo
O que diziam ser

Sumia toda
Quando despida
Não sobrava
Sequer a sombra
Do que havia

A alma
De ninguém
É tão vazia

Não havia nada
Sem carne
Sem sombra
Assombração
De toda e qualquer opinião

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário