13 de out de 2012

Monstro

Mesmo o mais cego
Que eu possa me tornar
Ainda sinto
O cheiro
O gosto da memória

Teu licoroso
Asqueroso
Veneno
Lúdico
Cáustico
Cega
Mata
Aleija

Monstro
De maquilagem borrada
Sedução deformada
Corpo de favela
Cabeça de donzela
Nega no gesto
O sangue de meretriz

Imortal
Devora meu peito
E se deixa arrepender
Segundos antes da morte
De sua metade
Meio fera, meio bela
Musa encantada
Fantasia

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *


0 comentários:

Postar um comentário