28 de out de 2012

Agonia

Deitada com o coração as mãos
A noite
Com o medo a aflorar em seu colo
Perfumado e nu
Por falta de amor não desfaleça
Antes de ouvir no peito
Canção

A luz apaga
E teus aflitos olhos as cercam,
As paredes,
Em tentativas falhas
De encontrar
Ardor
A dor

Irrompe
Janela adentro
O rigor em feixes flamejantes
Um fulgor
De olhos castanhos esverdeados
Melhor diria
Olhos de se apaixonar

Encerra
Este soluçar de dor
Estendido por tua maçãs
Revolta, se levanta
Que seja por vingança
Me ama
Até manhã

Transforma
Tua agonia em harmonia
Estende teu suspirar
Aos ouvidos, de quem jamais ira te navegar
Ao coração, de quem jamais será paixão
Em teu coração

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário