29 de jan de 2012

O rio

Sobe sobe
Azul, marrom franzido
Subia, o rio subia
E vem, adentro
Sobe correndo
Todo lamacento
O rio em que mora
Vive morto
Meu parente
Que aparentemente
Se misturou a corrente
Subiu pelas paredes
Derrubou a mureta
E subiu ao contrário
Escada abaixo
Quer dizer, acima?
Rio, que corro e rio, ó rio
Correu pela sala
Pela cozinha
Pelo quarto, e saiu
Saltando pela varanda
Até parar na barranca
Encontrara sua própria anca
A esnobe e bela volta que faz
Para voltar
Atrás
E cair no mar

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário