22 de ago de 2010

Alcoolizado

Enquanto os dedos abertos não fecham
E os corações alcoolizados
Não param de bater
Vamos vacilando pela contramão
Gostando de quem não gosta da gente
Viciados pela paixão
E cheios de tesão
Se perdendo
Gritando nomes
Seguindo o caminho dos postes
Para não sair da rota
Apenas enquanto bater
Meu coração alcoolizado
Dentro do peito aberto


Por Vitor C. Ramos


* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário