24 de mai de 2013

Parapeito

Sobre os pormenores do tempo
Lhes faço escravos do vento
Ponho sob o parapeito
Suspeito precipício

Entregando areia
O tempo devaneia
Vagueando entre os girassóis
Discorrendo sobre a rotina

Todas as estações
Sois só
Todos atrás da cortina
Todos, nós

Caia o tempo
Deixavam-se ao relento
Esperando o começo
Ventar

                                Passou milênio
                                Passou você
                                Eu
                                Passei

Passou o tempo
A ressaca
O parapeito hoje é rodapé
O vento virou maré

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário