19 de mai de 2011

Desterro

Sentado sobre o meio-fio
Escrevia sobre justiça
Que não sabia
Se via, se havia


O que se via
E havia
Apenas um fio de luz
Cortando ao longe o horizonte
Iluminando os corpos podres
Ao relento


Meus dedos secos em sangue
Sorteando palavras
Que esperam um dia
Contar a história
Desse desterro


Por Vitor C. Ramos


* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário