21 de nov de 2010

Que restou?

Mergulhei de cabeça
Na pedra de uma banheira
Nadei debaixo do flamboyant
Bebi da tua lágrima
Doce e púrpura
Escorrendo sob outras nuas
Entre seus quadros
Ouvindo sussurros
De seus lábios
Sorridentes
Suas doces palavras frias
A me cortejar
Morri
Após algumas estações
Acabou
Ficaremos na memória
De quem não conhecemos
Partes pequenas
Ou telas inteiras
Que restou?


Por Vitor C. Ramos


* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *



0 comentários:

Postar um comentário