18 de out de 2010

Parasitas

Parasitamos
Rimos
Choramos
Naquele  circo
De pouco em pouco
Definhamos
Secamos à beira do espelho
Esperando a água cair em cima de nossas cabeças
Apenas o Sol avistamos

Paramos
De baixo da sombra
Descansamos
Hidratamos
O corpo
E continuamos
Hidratando
O cérebro
Sugando tudo
De todos

Bebemos o dia todo
A noite bebemos mais
Quando o sol nasceu
Caimos
Cansados, sedentos
Secos, molhados
Acalorados
Bêbados
Parasitas uns dos outros
De nós mesmos
De tudo
De todos

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *


0 comentários:

Postar um comentário