19 de abr de 2012

Combalido

De repente
Os globos saltaram
Quicaram
Dançaram sobre as palmas
Que trêmulas
Se estendiam perante você
Que soltava as pedras
A cada sopro
Esboços
Cada sonho

E por sobre minha cabeça
Voaram hostis
Afiadas agulhas
Inserindo
O venenoso visco da dor
Entre as puras memórias do dia
Que tornava-se
Segundo a segundo
Uma eufonia
De dores

Os condores
Sobrevoando o asfalto
Os amores
Correndo sobre saltos
Engastados no peito
Buraco putrefacto
De dores
De amores

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário