31 de jul de 2011

Tortuosidade

Me perco
Entre as curvas
Sem saber de onde vem as luzes
Nem os afagos em minh'alma

Saí de mim
Pra me achar
Me ligo em apenas, um olhar
A qualquer distância

Enquanto a chuva
Faz escurecer
Ainda há luz nos olhos
Um gosto bom

Aflora de um peito aberto
Um perfume que descansa
Traiçoeiro
Nos envolve

Revolvo-me
A me controlar
Cheio de proibições
De sensações

Espero que caia a flor
Espero chegar
O dia que será
Minha

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *

0 comentários:

Postar um comentário