5 de mai de 2010

Bilhete de loteria

Agora
Que algo amargo me engasga
Esta palavra presa na garganta
Me fere a alma
Me atordoa
Como é difícil me manter calado
Mas como faço
Para ser escutado?


Hoje escrevo com desleixo
Sobre as coisas da vida
Já que elas ficaram engasgadas
As palavras
Escrevo num bilhete de loteria
O que me atordoa
E deixo no balcão do butequim


Por Vitor C. Ramos


* Se copiar, favor divular a autoria. Obrigado ! *

1 comentários:

Gui Beduschi disse...

Esses são os que eu mais gosto!
Sem aquelas riminhas manjadas, mas com conteúdo.
Com poucas palavras formou uma estória.
Nota 10.

Postar um comentário