21 de fev de 2010

Carta de um tolo

Em minha mente
De secas imagens
Ruínas de amores passados
Sonhos de ontem esquecidos
Começou num pequeno espaço
Que uma lágrima me roubara
E escorrera por meu rosto
Me tocando a alma
Na direção de meu remendado coração
E enquanto me ganhava
Seu espaço aumentava
A cada beijo que me dava
Mais me entregava
A essa paixão
A essa mulher
Pura como a lágrima
Que junta as peças de meu coração

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *


0 comentários:

Postar um comentário