9 de jul de 2009

Carta Póstuma

Escreverei um bilhete de adeus
No qual direi o quão grande é meu amor por ti
Quase sem ar
Lágrimas e suspiros deixarei escapar
No teatro da solidão
Perdendo a razão
Emergira o desespero
Desespero de querer lhe dizer
Eu te amo
Apenas mais uma vez
E junto de uma branca rosa
O deixarei
Esperando que não haja tempo para que leia
Em um pedaço branco de pano
Minhas memórias póstumas

Por Vitor C. Ramos

* Se copiar, favor divulgar a autoria. Obrigado ! *


0 comentários:

Postar um comentário